Green Building Council exam demo Google exam demo Categoria: Notícias ← Posts antigos
18 março

Nova classificação etária no GooglePlay

Caros Editores,

Hoje recebemos um notificação do GooglePlay referente ao novo modelo de classificação de idade para os apps visando adequação aos parâmetros da Coalisão Internacional para Classificação Etária. (International Age Rating Coalition). (texto completo abaixo)

Você Editor, não precisa se preocupar. Nós, MAGTAB, como parte do serviço oferecido iremos realizar os ajustes necessários para assegurar que seu app permaneça ativo e operacional.

Aproveito o ensejo para solicitar que todos acessem suas contas de publicação e verifiquem se os novos contratos foram aceitos. É imperativo que, de tempos e tempos, vocês verifiquem suas contas em ambas as lojas.

Para logar em suas contas acessem:
www.play.google.com/apps/publish (Googleplay) e itunesconnect.apple.com/WebObjects/iTunesConnect.woa (Appstore)

Estamos à sua disposição para sanar quaisquer dúvidas,

Equipe MAGTAB

——

Olá, desenvolvedor do Google Play,
Para ajudar os consumidores a tomar decisões conscientes sobre as compras realizadas no Google Play, apresentamos um novo sistema de classificação para apps e jogos. Esse novo sistema terá como base a faixa etária e será consistente com as práticas recomendadas do setor. Essa iniciativa oferece uma forma fácil de comunicar as classificações do conteúdo locais relevantes e familiares para seus usuários. Isso também ajudará a melhorar o envolvimento com seu app ao segmentar o público-alvo certo para seu conteúdo.
A partir de agora, é possível preencher um questionário de classificação de conteúdo para cada um dos seus apps e jogos e receber classificações de conteúdo objetivas. O novo sistema de classificação do Google Play inclui classificações oficiais da Coalizão Internacional de Classificação Indicativa(IARC, na sigla em inglês) e membros participantes, incluindo a Entertainment Software Rating Board (ESRB), a Pan-European Game Information (PEGI), a Australian Classification Board, a Unterhaltungssoftware Selbstkontrolle (USK) e a Classificação Indicativa (ClassInd). Os territórios que não forem cobertos por uma autoridade de classificação específica receberão uma classificação genérica com base na faixa etária. O processo é rápido, automatizado e gratuito para os desenvolvedores. Nas próximas semanas, os consumidores do mundo todo começarão a ver essas novas classificações do Google Play em seus mercados locais.
Forneça respostas precisas aos questionários dos seus apps para que eles possam ser encontrados pelo público-alvo certo. Depois de receber uma classificação para seus apps, você só precisará refazer o questionário caso uma atualização altere o conteúdo do app de maneira que afete a classificação dele. Saiba mais sobre a classificação dos seus apps
Para ajudar a manter a disponibilidade dos seus apps no Google Play, faça login no Console do desenvolvedor do Google Play e preencha o novo questionário de classificação para cada um deles. Os apps sem questionários de classificação preenchidos serão marcados como “Sem classificação”. Os apps “Sem classificação” podem ser bloqueados em certos territórios ou para determinados usuários. Além disso, todos os apps novos e as atualizações de apps existentes exigirão um questionário preenchido para serem publicados na Play Store. Sua participação no novo sistema de classificação de apps assim como sua conformidade com ele são obrigatórias de acordo com o Contrato de distribuição do desenvolvedor do Google Play. No futuro, os apps que não forem classificados com o novo sistema poderão ser removidos da Play Store.
Agradecemos seu apoio contínuo ao Google Play,?Suporte do desenvolvedor do Google Play
©2015 Google Inc. 1600 Amphitheatre Parkway, Mountain View, CA 94043
Preferências de e-mail: enviamos este anúncio obrigatório de serviço por e-mail para informar você sobre alterações importantes na sua conta do desenvolvedor do Google Play.
Hello Google Play Developer,
To help consumers make more informed choices about their purchases on Google Play, we’re introducing a new age-based rating system for apps and games consistent with industry best practices. This initiative gives you an easy way to communicate familiar and locally relevant content ratings to your users and helps improve app engagement by targeting the right audience for your content.
Starting now, you can complete a content rating questionnaire for each of your apps and games to receive the objective content ratings. Google Play’s new rating system includes official ratings from the International Age Rating Coalition (IARC) and its participating bodies, including the Entertainment Software Rating Board (ESRB), Pan-European Game Information (PEGI), Australian Classification Board, Unterhaltungssoftware Selbstkontrolle (USK) and Classificação Indicativa (ClassInd). Territories not covered by a specific ratings authority will display an age-based, generic rating. The process is quick, automated and free to developers. In the coming weeks, consumers worldwide will begin to see these new Google Play ratings in their local markets.
On your apps’ questionnaires, make sure to provide accurate responses to help your app be discovered by the right audience. Once you’ve successfully received a rating for your app(s), you’ll only need to retake an app’s questionnaire if an update changes the content of the app in a way that impacts its rating. Learn more about rating your apps
To help maintain your apps’ availability on Google Play, sign in to the Google Play Developer Console and complete the new rating questionnaire for each of your apps. Apps without completed rating questionnaires will be marked as “Unrated.” Unrated apps may be blocked in certain territories or for specific users. In addition, all new apps and updates to existing apps will require a completed questionnaire before they can be published on the Play Store. Your compliance and participation with the new app ratings system is required under the Google Play Developer Distribution Agreement. In the future, apps that aren’t rated using the new rating system may be removed from the Play Store.
Thanks for your continued support of Google Play,?Google Play Developer Support
©2015 Google Inc. 1600 Amphitheatre Parkway, Mountain View, CA 94043
Email preferences: You have received this mandatory email service announcement to update you about important changes to your Google Play Developer account.


19 agosto

Aplicativo sugerido no Facebook = aumento de download.

O Facebook é a rede social mais acessada por Brasileiros, uma plataforma poderosa para se atingir novos leitores e dar um bom impulso no aumento de downloads de sua Revista.

Aumentar a sua distribuição no ambiente digital será decisivo para o sucesso do seu aplicativo.

A revista The São Paulo Times recentemente utilizou do recurso do Facebook (aplicativo sugerido), para aumentar a sua base de aplicativos instalados por um período de três dias e teve uma resposta positiva de mais de 100 aplicativos instalados e mais de 300 edições baixadas.

instalar agora

Veja o que diz o Editor da experiência e da estratégia de promover a revista no digital:

“Vivemos um momento de transição entre o modelo de negócio analógico para o digital, onde vários dos segmentos que migraram ainda estão se consolidando no meio. Muitas editoras ainda resistem a ir para o meio digital com um medo de não obter o sucesso que teve no papel ou não ser algo rentável. 

Eu criei uma marca nova, recente, com grandes parcerias e em menos de um ano estamos no mercado competindo com vários outros títulos, a concorrência é grande então não basta ser apenas mais um título no mercado.

Tem que ter estratégia.

Quando iniciei, comecei com a cabeça no papel e também um site para complementar e divulgar a marca. Mas como sempre quero andar com a tecnologia resolvi montar uma versão digital também. Versão que fui estudando com o passar do tempo. Resolvi cair de cabeça na versão digital (que pra mim no começo era a que nunca daria lucro) e ver formas de rentabilizar o produto.

Como fazer então para rentabilizar a sua revista digital e alcançar o maior número de leitores?

Investir em mídia no Facebook, e ganhar dinheiro com os encartes da ADMAG.
(Leitores X MídiaNoFacebook) < (valores pago pela AdMag)

Os leitores que baixaram a revista na campanha de mídia vão ter o seu APP instalado, e receberão “PUSH” de novas edições.

Bruno Barbosa – The São Paulo Times”

A estratégia utilizada pelo Bruno aumenta a base instalada do APP da Revista em consequência gera o aumento no número de download das edições já publicadas e também para as edições futuras.

Siga o passo a passo para que você, Editor, também possa se beneficiar de mais este método de divulgação.

Acesse o link abaixo e siga as instruções.

https://www.facebook.com/business

 

 

 

 

 

 

 
 
1. clique em “crie um anúncio”
Você criará um anúncio para incentivar as pessoas a instalar seu aplicativo móvel.
 
2. selecione “instalações do aplicativo”
Esta ação (anúncio) deverá ser feita duas vezes, uma para divulgar seu app da loja da Apple (para ipads) e outra para o da Google Play (tablets Android). Copie e cole a URL (link para baixar o aplicativo) de cada loja (Apple ou Google).
 
*Você encontra estes links dentro da plataforma da Magtab:
> logado, escolha o título e vá em “editar app”, o link aparecerá logo no começo da página > clique no link e selecione a loja através dos ícones no canto esquerdo (iOS ou Android) > copie o endereço que aparece no navegador
 
3. Escolha da imagem
Escolha uma ou mais imagens que aparecerão em seu anúncio. Procure utilizar as capas mais bonitas e chamativas. Matérias interessantes com fotos atraentes também são uma boa pedida, entretanto lembre que o anúncio possui um formato reduzido, então valorize mais fotos e imagens, pois os textos da imagem dificilmente serão legíveis.
 
4. Escolha o nome e o texto que aparecerá em seu anúncio.
Informe às pessoas um pouco mais sobre seu aplicativo. Certifique-se de expressar com clareza o que você está promovendo. Seja criativo!
 
* Os itens 3. e 4. são os mais importantes em matéria de engajamento, pois eles representarão a “cara” do seu anúncio e também será através deles que o usuário saberá da existência de seu título, despertando, ou não, interesse em baixar o app de sua Revista.
 
5. Escolha o público
A plataforma provavelmente já estará selecionada de acordo com o link que foi adicionado. Preencha informações de local, caso queira geo-referenciar seu anúncio, idade, interesses, comportamento etc.
O próprio Facebook lhe oferece dicas. O preenchimento destes dados é bastante simples e intuitivo. 
 
6. Conta e Campanha
Selecione o valor que será investido e o tempo da campanha.
Inicialmente, cerca de R$100,00, distribuídos ao longo de três ou cinco dias já deve gerar uma mudança no seu número de downloads. O investimento não é muito, porém é bastante importante para a divulgação do seu título. Aumentar a abrangência é de suma importância.
 
7. Lances e definição de preço
O próprio Facebook já seleciona esta opção. Do investimento feito (escolhido anteriormente) só serão descontados valores cada vez que o anúncio for efetivamente exibido (entregue) a alguém.
 
8. clique em “enviar pedido”
 
9. Preencha os dados do cartão de crédito e aguarde a confirmação
Assim que confirmado, seu anúncio está pronto e começará a ser entregue conforme suas configurações.
 

É provável que o resultado seja variável. A visualização do anúncio também dependerá do apelo visual, dia da semana, horário e segmento de cada título. Nossa sugestão é que um investimento mensal seja promovido e que as estratégias de cada um se adaptem conforme a experiência das entregas anteriores. Você poderá mudar o texto e as imagens a cada compra, mantendo as ações que funcionaram e descartando as que não trouxeram resultado.


17 julho

Melhorando a audiência do seu app

“Convencer consumidores a baixarem seu aplicativo é difícil, mas perder o engajamento com essa ferramenta é fácil. Segundo pesquisa da Flurry, depois de realizar o download de um app, 25% das pessoas o utilizam somente uma vez e mais da metade encerra o uso depois de três meses.

Se um app para dispositivos móveis faz parte do seus planos de negócio, é importante estabelecer um caminho para a conversão – uma que seu público adote em poucas semanas. Usuários que não se engajarem ao seu serviço de forma rápida provavelmente irão desinstalar o app e esquecê-lo para sempre.” Confira algumas dicas e veja a matéria na íntegra, no site da Proxxima:

1. Construa confianças

2. Entregue valor para encorajar engajamento

3. Provoque urgência para direcionar a conversão mobile

4. Ofereça provas sociais para cultivar a lealdade

5. Encontre o ritmo certo para reter usuários

 

Fonte: http://www.proxxima.com.br/home/mobile/2014/07/17/5-maneiras-de-obter-crescimento-nos-neg-cios-e-engajar-consumidores-com-apps-mobile.html?xxi_campaign=portal&xxi_source=destaque&xxi_medium=principal


14 julho

LG cria tela fexível

“Se farão sucesso ou não, ainda é cedo para sabermos. O certo é que já podemos nos preparar para uma onda de dispositivos com tela flexível no mercado. A mais recente novidade da LG reforça esta tese: nesta semana, a empresa sul-coreana apresentou uma tela de 18 polegadas que é flexível o suficiente para ser enrolada.

Do ponto de vista funcional, a tela talvez não agrade muito para os padrões de hoje: o protótipo é capaz de trabalhar com resolução de até 1200×810 pixels e, aparentemente, não apresenta cores muito vivas.

De qualquer forma, a LG destaca que estes e outros parâmetros de qualidade evoluirão rápido, tanto é que a empresa planeja lançar uma TV de 60 polegadas ou mais com resolução 4K baseada nesta tecnologia já em 2017.”

 

Fonte: http://tecnoblog.net/159545/tela-oled-flexivel-lg/


11 julho

ThinkPad 8, da Lenovo: boa tela e pouco peso são os atrativos

“Com 8,3 polegadas, a tela Full HD é um dos atrativos do tablet ThinkPad 8, da Lenovo. Além da tela, o pouco peso (440 gramas) e a bom desempenho do gadget também foram elogiados por sites especializados que o testaram nos Estados Unidos.

O ThinkPad 8 traz ainda câmera traseira de 8 MP e frontal de 2 MP. Com sistema operacional Windows 8.1, o tablet tem capacidade de armazenamento interno de 64 GB.

No Brasil, o gadget está sendo vendido por 1.390 reais. É mais barato que um iPad mini, mas mais caro que um Galaxy Note 8. Para Engadget, CNET e outros sites, a curta duração de carga da bateria é um dos pontos fracos desse ThinkPad.”

 

Fonte: http://exame.abril.com.br/tecnologia/galerias/gadgets/boa-tela-e-pouco-peso-sao-atrativos-do-thinkpad-8-da-lenovo


3 julho

Fotos sugerem o possível iPhone6

“Parece que a tela do iPhone 6 terá bordas arredondadas, que se unem ao corpo metálico numa curva para baixo. É o que sugerem fotos publicadas hoje pelo blog 9to5Mac.

As fotos foram fornecidas ao site pelo blogueiro Sonny Dickson, que não diz como as conseguiu. Se forem verdadeiras, elas revelam mais um detalhe do iPhone 6, que a Apple deve anunciar em setembro.

A borda curva no vidro que recobre a tela é um mero detalhe estético e não deve interferir em seu funcionamento. Há um orifício na parte superior esquerda da tela que pode abrigar tanto a câmera frontal como algum sensor.

Além de telas maiores que as atuais, o iPhone 6 deve trazer um novo processador A8, sensores adicionais e, talvez, melhoramentos na câmera. Ele vai rodar o iOS 8, a versão mais recente do sistema operacional móvel da Apple, que a empresa apresentou em junho, no evento WWDC.

Entre as novidades, estão funções voltadas para saúde e condicionamento físico, que poderão trabalhar em conjunto com o relógio inteligente iWatch, que a Apple também está desenvolvendo.”

 

Fonte: http://exame.abril.com.br/tecnologia/noticias/fotos-mostram-tela-do-iphone-6-com-bordas-curvas


27 junho

Proporção de domicílios com tablets triplicou de 2012 para 2013

“Os tablets começam a mostrar maior presença nas residências brasileiras, ainda que de forma mais complementar a outros aparelhos, como computadores desktops e notebooks, de acordo com a pesquisa TIC Domicílios 2013 do Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação sob os auspícios da Unesco (Cetic.br), do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br).

O estudo, divulgado nesta quinta, 26, mostrou que a proporção de domicílios com tablets triplicou de 2012 para 2013, quando apresentou 12% de penetração.

Considerando a amostragem de residências por classe social, 34% da classe A possui tablets, 15% da classe B, 8% da classe C e 7% das classes D e E.

Os domicílios urbanos possuem mais tablets, com penetração de 13%, contra 8% na área rural. Vale notar que a região Nordeste possui o mesmo percentual (13%) que as regiões Sudeste e Norte.

“Algumas políticas públicas acontecem: tivemos incentivos, políticas industriais, para produção de tablet e, na medida em que o preço do dispositivo cai, isso tende à massificação”, lembra o gerente do Cetic.br, Alexandre Barbosa, citando a desoneração desses aparelhos construídos no Brasil.

“A curva certamente será exponencial e tende a ser muito grande por questão da portabilidade”, complementa.”

 

 

Fonte: http://exame.abril.com.br/tecnologia/noticias/tablets-estao-em-12-dos-domicilios-do-pais-diz-pesquisa


25 junho

Amazon lança no Brasil novo Kindle Paperwhite com 3G grátis

“O Kindle Paperwhite 3G tem conexão gratuita em 100 países, o que inclui o Brasil. Para oferecer a conexão, a Amazon faz parcerias com diversas operadoras ao redor do mundo. Não há entrada para chip, nem nada do tipo: é só ligar e usar mesmo. Com o 3G liberado, claro, a ideia é que o usuário possa comprar e baixar livros em qualquer lugar, além de usar os recursos do Kindle que exigem conexão com a internet.

E o que mudou em relação ao Kindle Paperwhite 3G da geração anterior? A tela está mais clara, a iluminação embutida está mais uniforme e os pretos estão mais pretos. O processador de 800 MHz foi substituído por um de 1 GHz, e a melhoria nas respostas ao toque é bem perceptível. Por fim, o sistema ganhou alguns refinamentos e novos recursos, mas a Amazon recentemente liberou as novidades para donos do Kindle Paperwhite antigo.

Portanto, se você já tem um Kindle Paperwhite, não há nenhum motivo para fazer um upgrade: ele deve aguentar bem por mais alguns anos. Caso contrário, o novo Kindle Paperwhite 3G já está disponível na loja da Amazon por 699 reais. Para quem não faz questão de ter conexão em qualquer lugar, a versão Wi-Fi continua sendo vendida normalmente por 479 reais.”

 

Fonte: http://tecnoblog.net/158747/amazon-novo-kindle-paperwhite-3g-lancamento-brasil/


10 junho

Estamos sendo rastreados!

“Hoje, funciona assim: quando seu aparelho procura por redes Wi-Fi disponíveis, ele emite automaticamente um endereço MAC (Media Access Control), código único que identifica cada dispositivo. Com esse endereço, uma empresa pode rastrear sua localização para exibir propagandas de acordo com sua movimentação dentro de um shopping, por exemplo. No ano passado, uma empresa espalhou nas latas de lixo (!) por Londres que detectavam, além da localização, a velocidade do pedestre e o modelo do celular.

O iOS 8 resolve essa questão tornando aleatórios os endereços MAC emitidos pelo iPhone, iPad e iPod touch ao fazer buscas por redes Wi-Fi disponíveis. Dessa forma, as redes Wi-Fi não conseguirão obter o endereço MAC real do dispositivo a todo momento e o rastreamento será bem mais complicado. É um truque simples, que poderia muito bem ser implantado por outras plataformas.

No iOS 7, a Apple já havia feito outra alteração relacionada ao endereço MAC por questões de privacidade. Até o iOS 6, os apps usavam esse endereço para exibir anúncios personalizados para cada usuário. Com a atualização, os apps passaram a receber um falso endereço MAC, o 02:00:00:00:00:00, forçando os desenvolvedores a usarem uma solução da Apple, o IDFA, que pode ser desativado pelo usuário nas configurações do sistema.”

 

Fonte: http://tecnoblog.net/158074/ios-8-endereco-mac-aleatorio/


6 junho

Microsoft apresenta novos tablets híbridos

“Depois da apresentação do Surface Pro 3, onde a Microsoft tentou mostrar um dispositivo revolucionário que pretende apagar a linha que separa o tablet do PC, a gigante tecnológica apresentou na Computex dois novos dispositivos. E um deles pode muito bem fazer concorrência ao seu novo tablet.

O HP Pro X2 612 e um tablet de 7″ da Toshiba foram revelados pelo vice-presidente da OEM da Microsoft, Nick Parker na Tailândia.

O novo dispositivo da HP é um hibrido entre o tablet e o PC, tendo sido desenhado para o mundo dos negócios. Curiosamente, o seu conceito é muito semelhante ao Surface Pro 3 da Microsoft, o que é interessante, já que foi a própria gigante de Redmond a revelar o dispositivo.

Este 2-em-1 pode ser configurado com um processador Intel Core i3 ou i5, inclui um digitalizador Wacom e câmaras Full HD. Mais interessante ainda é o suporte para duas baterias, uma no tablet e outra no teclado amovível, capazes de dar 14 horas de autonomia.

Da Toshiba, Parker revelou um novo tablet de 7″, mas não deu qualquer informação adicional. Apesar de todo o mistério criado a volta deste dispositivo, Parker afirma apenas que vai ser um produto competitivo com os dispositivos da sua gama.”

 

Fonte: http://t3.sapo.pt/noticias/microsoft-apresenta-novos-tablets-hibridos-na-computex


← Posts antigos